RONDÔNIA: Indígenas estão qualificados para atuar no trabalho de saneamento

  aisan.jpg

Indios de várias aldeias atendidas pelos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dsei) Porto Velho e Vilhena, órgãos executivo da Coordenação Regional da Funasa de Rondônia (Core-RO), estão habilitados a exercer o trabalho de identificação e solução de problemas relacionados ao saneamento básico. Eles fazem parte do grupo de 33 novos Agentes Indígenas de Saúde (Aisan) que acabam de ser formados pela instituição.
Entre as atividades desenvolvidas pelos Aisans estão à operação dos sistemas de abastecimento de água instalados nas aldeias; manutenção dos sistemas de esgoto; orientação do uso dos módulos sanitários individuais; levantamentos de dados cadastrais; ações de educação em saúde e ambiental, entre outros.
João Tenharim, indígena da aldeia Taboca, ressaltou a importância da capacitação para a melhoria da saúde na aldeia. “Questões como limpeza e tratamento da água discutida durante o curso podem trazer benefícios importantes, portanto, vou levar os conhecimentos recebidos aqui para os meus parentes, pois juntos podemos mudar a atual realidade”. Sobre a opção de treinar o próprio índio, ele disse que o caminho escolhido pela Funasa foi o melhor. “Nós conhecemos mais a comunidade do que qualquer outra pessoa”.
O vice-presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena, Silas Oro Não, declara que a formação é importante para os indígenas e para a Funasa. O fato dos próprios ‘parentes’ estarem sendo preparados para trabalhar nas suas comunidades é uma grande conquista que certamente trará bons resultados.

“Pretendo após este curso, trabalhar a prevenção na minha aldeia, orientando e instruindo com relação a problemas sérios, como a qualidade da água. Espero ainda, provocar mudanças na minha comunidade”, afirmou o indígena Cleudo Tenharim. Sobre a estratégia da Funasa em formar Aisan membros da comunidade, ele ressalta, “o índio terá menos problemas em convencer a comunidade de participar do trabalho de saneamento, que é necessário para a melhoria da saúde na aldeia”.
A responsável pela Divisão de Engenharia de Saúde Pública (Diesp), Antônia Catunda, explicou que não seria correto a Funasa apenas colocar melhorias de saneamento nas comunidades indígenas se não preparar pessoas da própria para acompanhar e orientar sobre a utilização desses benefícios

 

Fonte:

FUNASA/RO 

Jornal Nortão Online – http://www.onortao.com.br/ler.asp?id=10527 

Autor: Julio Aires

 

Anúncios

Um Comentário

  1. moises

    sim nao acho tenho certeza pois ja e o momento
    mas o governo que assim entao sera assim empregando o proprio indigena para cumprir o papel do governo fazer o que ne assim é tem q ser feito pois e melhor do que o nao indigena estar nas nossas terras trazendo doenças e casando com nossas indias misturando um povo
    mas os tempos mudam mas o povo indigena nao se pode mudar pois sao costumes e usos tardicionais e nao modismo como o governo faz
    mas tem que o governo cuidar mesmo e da regiao do vale do javari no estado do amazonas
    la sim e grande o problema e so pesquizar o caso de la e triste caso de abandono etnocidio crime
    ……………..
    ,,,,,,,,,…………….,……………………………..

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s