Tokyo: Indígenas do Japão lutam para manter sua cultura

 mina-sakai-membro.jpg

  Mina Sakai, membro do Ainu Rebels, na primeira apresentação do grupo, que mistura música e dança Ainu, em Tokyo  

Os Ainu, que povoaram o Japão e leste da Rússia, se agrupam agora na ilha de Hokkaido
Tokyo – Efe
Ainu, uma etnia japonesa condenada ao esquecimento
Os Ainu, indígenas do Japão com uma cultura ancestral que adora os ossos, lutam para sobreviver no norte do país contra a tendência de homogeneidade fixada nos últimos séculos.
A palavra Ainu significava “ser humano” no idioma desses indígenas, que povoaram um vasto território desde o norte da ilha de Honshu (principal ilha japonesa), às ilhas Kuriles e inclusive o sul da península Kamchatka, no extremo leste da Rússia.
No entanto, vários episódios históricos, como a guerra russo-japonesa de 1905, terminaram agrupando a maior parte dos Ainu no sul da ilha de Hokkaido.
Cerca de 20 mil descendentes desses indígenas que vivem em Hokkaido sofrem problemas para adaptar-se ao século 21.
Integrados em um país moderno onde é possível pagar a compra do supermercado com o telefone celular, já não podem continuar com o estilo de vida que definia sua identidade, baseada na caça e pesca.
Às margens do Lago Akan, com a paisagem coberta pela neve, Ryuji Hirasawa, vestido com uma bata tradicional e uma faixa na cabeça, explicou à agência Efe que seu povo pediu “um sistema de cotas ao governo japonês” para compensar o isolamento ao qual foi submetido.
Os Ainu acabaram se tornando dependentes do turismo e subsídios do governo. A casa Ainu de Akan, localizada próxima ao lago rodeado de fontes termais, se encontra em meio a aglomerações de barracas de produtos e totens que lembram a estética dos povos nativos da América do Norte.
Na casa Ainu liderada por Hirasawa, várias mulheres de baixa estatura e encorpadas interpretam para os turistas, a dança do tsuru (grou) com pequenos passos e movimentos bruscos com seus longos cabelos negros.
Apesar da ajuda do governo local, eles se queixam de não poderem continuar com rituais ancestrais como o roubo de um filhote de urso durante a hibernação da mãe para usá-lo em uma cerimônia religiosa.
A sociedade japonesa, que durante séculos baseou sua estabilidade na homogeneidade, maltratou durante séculos os Ainu e criou situações nas quais os próprios pais escondiam dos filhos a origem, para que não fossem alvo de maus-tratos nas escolas.
Hirasawa, presidente da Associação Ainu de Akan, no centro da ilha de Hokkaido, não fala seu próprio idioma, como a maioria dos integrantes do seu povo, e reivindica que “a língua Ainu seja incluída na educação obrigatória”. Segundo pesquisadores, o idioma corre o risco de desaparecer.
Os sinais de decadência são evidentes, apesar de tentativas de reviver a cultura Ainu como uma campanha liderada por Shigeru Kayano, um dos últimos habitantes nativos, que chegou a ocupar um lugar no Senado japonês mas morreu no ano passado.
No seio político, um novo impulso tenta acabar com a inércia. Em setembro, a Associação Ainu de Hokkaio pediu ao governo japonês que reconheça aos indígenas os direitos garantidos pela ONU. A jovem Mina Sakai, líder do grupo Ainu Rebels, comanda a campanha.
O espírito revolucionário despertou o interesse pelos Ainu entre os jovens japoneses com uma mistura de música tradicional misturada com rock e hip-hop.
A proposta encontra resistência de membros do próprio povo que acusam esses jovens de destruir suas tradições, mas Mina responde com uma frase que simboliza sua campanha: “nunca acreditei que poderia dizer alto e claro que sou uma Ainu”.

Fonte:Fernando A. Busca / IPCDIGITAL.COM
http://www.ipcdigital.com

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s