Cenário de enormes dificuldades para o Povo Maxakali, da Aldeia Verde, município de Ladainha, Vale do Mucuri – MG

Às entidades parceiras e apoiadoras da Causa Indígena Maxakali

O ano de 2008 iniciou-se comum cenário de enormes dificuldades para o Povo Maxakali, da Aldeia Verde, município de Ladainha, Vale do Mucuri – MG.

Há exatamente 1 (um) ano estabelecido na reserva indígena da Aldeia Verde, o Povo Maxakali vem vivenciando problemas na nova área. Apesar de ser uma região de mata,
a área não é suficiente em potencial para a garantia da qualidade de vida do povo.

A população, atualmente num total de 306 pessoas, não tem acesso à água de boa qualidade. Apesar de haver algumas nascentes na aldeia, em alguns lugares a água é
de péssima qualidade, como a água parada de represas que compromete a saúde da população, e onde principalmente as crianças nadam e banham, correndo o risco de se
contaminar.

Conforme relato dos próprios Maxakali, desde o início deste mês de janeiro, o povo vem adoecendo de tal forma que o mal já atingiu a toda a população. Há crianças
que estão a vários dias sem se alimentar, com vômito, febre alta, sangramentos pelas narinas, dor de cabeça, dor abdominal e fraqueza generalizada. Esses mesmos
sintomas atingem os idosos, adultos (estes com quadro de desmaios) e jovens.

Portanto, isso caracteriza um quadro de epidemia no Povo Maxakali da Aldeia Verde. O próprio povo afirma que nunca houve uma epidemia dessa proporção.

A gravidade maior, porém, é a ausência da FUNASA (Fundação Nacional da Saúde), órgão responsável pela saúde indígena, deixando os Maxakali em condição de abandono.
Não há médico como também não há remédios.
É urgente que a FUNASA seja presente na Aldeia Verde, para analisar as condições do local, coletar e examinar a água e exercer demais procedimentos para detectar
o foco da epidemia e erradicá-la urgentemente, além de, especialmente, dar a assistência devida ao povo. O risco de estar acontecendo uma epidemia de febre amarela
na aldeia Verde é grande.

Um outro problema grave que o povo enfrenta é a falta de alimentos. As cestas básicas que a FUNAI (Fundação Nacional do Índio) fornece chegam à Aldeia Verde com
muita irregularidade e em quantidade insuficiente para as mais de 70 famílias.
Ao serem indagados pela equipe de reportagem que esteve hoje, 23/01/08, na aldeia, sobre suas necessidades do momento, os Maxakali responderam:”Remédio e comida.”

Portanto, clamamos às pessoas e entidades parceiras e apoiadoras dos Maxakali que ajudem a divulgar essa situação grave e a pressionar os órgãos da administração
regional de Governador Valadares, a FUNAI e FUNASA, a cumprir o que lhe compete por lei.

A saber: contatos – FUNASA (33)3271.8231
FUNAI (33)3271.1694

ARMICOPA – Associação Regional Mucuri de Cooperação dos Pequenos Agricultores – armicopa@uai.com.br
EQUIPE MAXAKALI – equipemaxakali@gmail.com

Anúncios

Um Comentário

  1. ABIMIND ( Pr. João Milla )

    Sou presidente da ABIMIND trabalhamos em defesa do Negro,indio e necessitado,trabalho com os indios Xavantes a cinco anos, morei dentro da aldeia com eles um ano e quatro mês, todo trabalho que foço é social, respeitando os direitos e cumprindo com os deveres, conheci em Valadares um Grupo de indio da aldeia verde de Ladainha, eu pretendo levar para eles no mês de JUlho deste ano uma camionete de roupas e outras coisas.

    Precisso de alquem que me apoe neste projeto.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s