Assassinadas duas locutoras de uma emissora comunitária indígena em Oaxaca – Mexico.

Por Intercambio Nacional por la liberdad de expre
Assassinadas duas locutoras de uma emissora comunitária indígena em Oaxaca.
As locutoras da emissora comunitária ?La Voz que Rompe el Silencio? (A voz que rompe o Silêncio) no povoado de San Juan Copala, Felicitas Martínez Sánchez, de 21 anos, e Teresa Bautista Merino, de 24 anos de idade, morreram ao receber tiros de balas quando viajavam pela estrada que conduz à parada Joya Del Mamey a Putla de Guerreiro no estado de Oaxaca. Mais quatros pessoas ficaram feridas, entre elas duas crianças.
De acordo com a informação difundida pelo Centro de Apoio Comunitário Trabalhando Unidos A.C (CACTUS), uma organização civil que desenvolve trabalho comunitário na zona, a emboscada ocorreu entre as 1:00 e as 2:00 pm (hora local) do dia 7 de abril de 2008. A polícia encontrou ao menos umas vinte cápsulas de bala de calibre AK-47, segundo tem reportado alguns meios de comunicação.
A Voz que Rompe o Silêncio transmite desde janeiro de 2007. Esse projeto comunicativo está integrado na sua maioria por jovens e adolescentes do povo trique, um grupo indígena da região. É importante mencionar que esta emissora iniciou transmissões com motivo do primeiro aniversário do município autônomo de Copala.
Omar Esparza, coordenador da área de direitos humanos do CACTUS, assinalou que o grupo havia saído para fazer uma reportagem, gravar as pessoas.
Eram comunicadores indígenas que cumpriam um cargo encomendado pelas autoridades comunitárias?.
Esparza concluiu expressando que é uma pena que ninguém tenha atendido as denúncias que vínhamos fazendo sobre a situação crítica que vive a região desde uns cinco meses?.
Os fatos se somam ao contexto de insegurança e confrontação política que tem caracterizado essa região, logo após que em janeiro de 2007 as autoridades comunitárias e organizações do povo trique, declararam a criação do município autônomo de San Juan Copala, a 350 km da capital do estado.
Esse episódio lamentável se soma à grande lista de ataques perpretados contra os/as comunicadores/as em Oaxaca, como resultado das condições de insegurança a qual essas pessoas se vêem obrigadas a exercer a liberdade de expressão e de imprensa. Essa situação se agrava mais ainda quando se trata das rádios comunitárias. Como exemplo, os casos de agressão aos membros da Rádio Nanda e Rádio Calenda, também com sede no estado de Oaxaca, ainda permanecem impunes.
Links:
Mais informações sobre o caso:
http://www.oaxacalibre.org
http://cml.vientos.info/

Escreva uma apelação para:
Carlos Abascal Carranza
Secretario de Governo
cabascal@segob.gob.mx

Pedro Cerisola y Weber
Secretario de Comunicaciones y Transportes
Correo electrónico: ucg_srio@sct.gob.mx
Fax: +55 19 06 92

Lic. Enrique Adolfo Aranda
Subsecretario de Normatividad de Medios
Secretaría de Gobernación
Tel: +55 55 35 69 15
Correo electrónico: earanda@segob.gob.mx

Actuaria Eugenia del Carmen Diez Hidalgo
Jefa de la Unidad de Promoción y Defensa de los Derechos Humanos
de la Secretaría de Gobernación
Fax: +51280223
ediez@segog.gob.mx

Daniel Francisco Cabeza de Vaca
Procurador General de la República
Tel: +56 55 25 95, Ext. 202 / 56 55 25 95, Ext. 210
http://www.pgr.gob.mx/index.asp

Mario Álvarez Ledesma
Subprocurador de Derechos Humanos
Fax: +53464382
Correo electrónico: malvarez@pgr.gob.mx

Traduzidos do: ARTICLE 19 y CENCOS
Tradução: Alexzapa
Fonte:http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2008/04/416905.shtml

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s